Blog

Blog

E quando o início da gravidez já é diferente do programado?

07 de fevereiro de 2018 |
Instituto Mãe

Instituto Mãe: E quando o início da gravidez já é diferente do programado?

Por Giselly S. Emerick da @Maternidade Help

 

Instituto Mãe: Minha gravidez foi planejada e aconteceu rapidinho, apenas um mês depois que começamos a tentar. Que emoção foi “desconfiar” que estava grávida e que alegria foi descobrir que eu estava passando por um milagre… o milagre de ter dois corações dentro de mim.

Com 7 semanas de gravidez fiz o primeiro ultrassom e ouvimos o coraçãozinho do bebê, QUE EMOÇÃO! Estava me sentindo bem, tanto que, fui à academia, viajei para o interior do Estado na casa de minha mãe, viajei para Inhotim em Minas e viajei para São Paulo, andei muuuito e fiz muitas comprinhas de roupa de grávida, parecia que eu já iria usá-las na próxima semana rsrsrs.

Depois disso tudo, fui à primeira consulta com a obstetra e falei de um sangramento pequeno que tinha tido, ela mandou repetir a ultrassonografia. Ao exame, não havia nada e a médica disse que provavelmente era ainda da implantação no útero, um alívio! Mas, no mesmo dia mais um sangramento e mais um exame e um afastamento do trabalho por 10 dias.

Com 10 semanas de gravidez em mais um ultrassom descobrimos um descolamento de placenta, daí para frente foi repouso total. Imagina… eu que sempre fiz várias coisas ao mesmo tempo, já tinha feito contato com a personal training para começar a atividade física, que adoro viajar… agora de repouso.

Chegamos à ultra de 12 semanas, que ansiedade, que angustia, quanto sentimento misturado que nem sei dar nome. Minha pressão que nunca passou de 11x7mmHg esse dia deu 14x9mmHg. Começamos o exame e segurando a mão do papai recebemos a notícia mais linda e confortante “seu bebê está se desenvolvendo bem”. Lógico que eu não parava de chorar de alegria de saber que estava tudo bem com o nosso milagre. Enquanto isso o médico continuava o exame de placenta, colo, etc. Até que ele começou a falar: descolamento grande de placenta, característica da placenta diferenciada e placenta baixa, mais repouso e uma gestação de risco. Nesse momento, o motivo do choro mudou. Fomos direto para a obstetra, eu chorava muito, não sei se consegui captar tudo que ela disse, mas, o que nos marcou foi que os 2 médicos disseram: “entrega para Deus”, e disseram que não havia o que a fazer, a não ser o repouso e viver um dia de cada vez. Daí começamos a pedir a Deus pelo nosso segundo milagre.

E de cara 90 dias de afastamento e repouso. Daí começaram meus dias em casa, com uma fome sem fim, sem perder nenhuma caloria por não estar me movimentando, contando os minutos para meu marido chegar do trabalho para ter uma companhia e vendo o tempo passar (mas, demorava passar rsrs).

E aí é onde começamos a fazer escolhas “ficar triste ou alegre?” “murmurar ou agradecer?” “ver a vida passar ou viver a vida?” Graças a Deus, até agora, escolhi as segundas opções dessas aí.

Comecei a planejar os meus dias sem sair do sofá ou da cama: procurei cursos on line para fazer, fiz uma lista de filmes que gostaria de assistir e livros para ler, combinei visitas das amigas e aprendi a fazer amigurumi (aqueles bichichos de crochê), isso mesmo, uma amiga veio me ensinar e assim, meus dias passam mais rápido, há dias que nem consigo fazer tudo o que planejei.

Estou seguindo o repouso certinho e incentivo a todas que estão nessa situação, a fazerem o mesmo. Nosso esforço de ficar quietinha é por uma causa muito maior. É um momento único de se conectar ainda mais com nosso bebê.

E aqui eu me encontro ainda de repouso, fizemos a ultra com 16 semanas e para a glória de Deus o descolamento sumiu… que vontade de gritar isso para todo mundo e sair correndo… Calma! Ainda não pode! A placenta continua baixa… Mas, já é uma alegria que não está cabendo (tanto que a barriga está crescendo).

O objetivo de escrever aqui é compartilhar com você grávida, que esteja passando pela mesma situação e encorajá-la a manter o repouso e ficar bem, já que o bebê já sente todas as nossas emoções.

 

Giselly Storch Emerick

Baby Planner

Instagram @maternidadehelp

Categorias:
Coisas de mãe